Índia

Índia

Localização: Ásia, África e Oriente Médio

Índia é um país muito exótico a maioria das pessoas, proporcionando aos turistas diversos aspectos e pontos de vistas sobre o local, com suas peculiaridades e paisagens exuberantes, como os desertos, as dezenas de cidades milenares, florestas tropicais e montanhas nevadas. Nos últimos anos, o país investiu fortemente no turismo, tornando-o um dos destinos mais procurados do mundo. Quando se fala em Índia, é impossível não se lembrar do Taj Mahal, de Mahatma Gandhi, dos tecidos coloridos, das comidas exóticas, do Rio Ganges, dos elefantes e encantadores de serpentes, e principalmente da  e religião, além de outros diversos elementos que o caracterizam como um país único e especial.

Poucos países do mundo são mais desafiadores que a Índia. Tão caótico, mas tão incrível, este país pode mudar a vida de qualquer um. O choque envolvido numa viagem à Índia é sem igual!

Pacotes

FALE COM ESPECIALISTAS

Moeda: Rupia indiana

Fuso horário: + 8h30 em relação à Brasília

Idioma: Hindi e Inglês

Código do país: +91

Voltagem | Tipo de Tomada: 220V, 230V | Tipo C, D, G e M, mas é recomendado levar adaptador universal

Aeroporto principal: Aeroporto Internacional Indira Gandhi (DEL), em Nova Déli, Aeroporto de Jaipur (JAI) e Aeroporto Internacional de Chhatrapati Shivaji (BOM), em Mumbai

Documentação: É necessário visto e passaporte válido por no mínimo seis meses

Vacina: É obrigatório apresentar o Certificado Internacional de Vacinação contra a febre amarela, que deve ser tomada pelo menos 10 dias antes da viagem. Inclusive, é um pré-requisito para a emissão do visto

Peso bagagem: Consulte sua companhia aérea

Consulado: 8, Aurangzeb Toad, New Delhi – 110011.  Telefone: +91 11 2301 7301

  • Não é obrigatório fazer seguro viagem para a Índia, mas é sempre recomendável.
  • Tenha muito cuidado com a alimentação e se hidrate bastante com água mineral.
  • Comer carne bovina é pecado na Índia, por isso é difícil encontrar. Até o fastfood mais famoso do mundo, o McDonald’s, só vende hambúrgueres de carneiro e tem até uma opção vegetariana, o McVeggie.
  • Não é aconselhável alugar um carro no país. O trânsito é caótico e é necessária muita experiência.
  • A presença de redes internacionais no varejo local é proibida por lei, portanto, não existem hipermercados por lá. As alternativas são feiras, mercadinhos, lojas de conveniência e mercados de médio porte.
  • A Índia é muito famosa pelos seus festivais. Entre os principais estão: Holi (Festival de Cores), que ocorre em fevereiro ou março e simboliza a chegada da primavera; o Diwali (Festival de Luzes), que ocorre durante cinco dias nos meses de outubro ou novembro e simboliza o triunfo do bem sobre o mal; o Navrati (Festival das Nove Noites), que ocorre em setembro ou outubro e simboliza a deusa Mãe Hindu, Shakti, celebrada em todas as suas nove encarnações, e no décimo dia vira o festival Durga Puja, que celebra a vitória de Durga, a Deusa Guerreira, sobre um demônio.
  • A melhor época para ir à Índia é entre novembro e abril. Período do inverno indiano que não é afetado pelo temido e grandioso regime de monções, além da diminuição da propagação de doenças. No norte, incluindo em Nova Déli, as temperaturas podem cair para perto de zero até mais ou menos o início de março, quando o tempo volta a esquentar. Já mais ao sul, em cidades como Mumbai e os estados de Goa e do Kerala, são quentes o ano inteiro.
  • Se você é mulher e pretende ir à índia, evite sair sozinha, principalmente à noite. É sempre bom ter alguém de confiança para fazer companhia ou fazer a viagem toda acompanhada de um homem. Outra dica é se vestir da forma mais discreta possível, evite roupas muito curtas e decotes.
  • Evite entrar desacompanhada em táxis, tuk-tuks ou transporte público. Se tiver que fazê-lo, peça o carro em uma corporativa por telefone, anote o número da placa e o nome do motorista e deixe algum conhecido avisado. Nos trens urbanos e metrôs, sempre utilize o vagão reservado para mulheres.
  • Nos trens de viagem, compre sempre bilhetes para as classes 3AC ou superior. Se você for viajar durante à noite e seu trem não tiver cortina para te garantir privacidade, você pode improvisar uma com um lençol. Nos ônibus, sente-se do lado de uma mulher se for possível.
  • Se for à Índia no verão, aproveite para visitar a região da Caxemira, que costuma ficar congelada no resto do ano.
  • No formulário da imigração, que será entregue no avião, você deverá informar um endereço no país. Coloque o endereço do hotel ou da casa onde for se hospedar.
  • A Índia tem mais de 20 idiomas oficiais, além de vários dialetos. O hindi é a língua mais comum, mas tem quem fale urdu, bengali, kashmiri, punjabi, kannada, gujarati, telugu e até português.
  • Além da vacina obrigatória contra febre amarela, também é recomendável se vacinar contra a poliomielite (mesmo que você já tenha sido vacinado quando criança), hepatite A, hepatite B (para viajantes com até 49 anos), raiva, tétano, gripe, febre tifoide e encefalite japonesa.
  • Algumas áreas da Índia também sofrem com uma alta incidência de malária, em especial os estados de Goa, Chhattisgarh, Gujarat, Jharkhand, Karnataka (exceto Bangalore), Madhya Pradesh, Maharashtra (exceto Mumbai, Nagpur, Nasik e Pune), Orissa e West Bengal (exceto Calcutá), além das Andaman e Nicobar. Não existe vacina contra a doença, mas a prevenção é possível por meio de remédios.